A influência da música na vida

A influência da música está muito além da que é apresentada em grandes filmes e para ver isso devemos ir ao seu início da sua história. Na antiga Grécia havia a crença que as artes eram inspiradas pelas musas, nove entidades responsáveis cada uma por ramificação da arte. A música era regida por Euterpe, filha de Zeus com a deusa da memória, nota-se então que a música está intimamente ligada à memória, aprender cavaquinho em casa.

É possível dispor a música em dois polos a razão e emoção. Pitágoras enquanto passava em frente um ferreiro notou que diferentes que martelos produziam diferentes sons, a partir disso seus experimentos sistematizaram a música criando um sistema musical baseado em quatro sons o tetracorde e a união de dois destes a escala de oito notas que seriam denominadas como: Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá, Si.

Platão em sua obra, buscava entender além de outras questões, até onde iam as influências e as possibilidades geradas pela música na vida dos cidadãos gregos; Eram três, os principais tipos de melodia:

  • LÍRICO: que exalta as características sensuais humanas
  • FRÍGIO: que exalta as características patéticas
  • DÓRICO: que exalta as características de força e de magnitude

A música em seus diferentes tons tem a capacidade de causar emoções, segundo a teoria “Walloniana” ao ouvirmos uma música absorvemos as ondas sonoras e exteriorizamos isso no corpo. A sensação de “frio na barriga” ou “coração acelerado” que se mostra como uma lágrima ou um sorriso, isso é ligado diretamente a memória pois a associamos com alguém, uma ação ou mesmo um momento único. Essa reação se dá já no início das nossas vidas, a percepção ao som se inicia a partir vigésima semana de gestação respondendo a estímulos sonoros e a voz da mãe.

Uma pessoa em contato com a música, inicialmente estimula os lobos temporais (audição) seguido do occipital (“visão” do som) e do frontal (pensar sobre o som). Problemas como a ansiedade ou depressão criam uma baixa eficiência cerebral, com origem na diminuição de serotonina, um neurotransmissor envolvido na comunicação entre neurônios. O efeito da música consiste em estimular as células cerebrais, aumentando o nível de serotonina e dessa forma melhorar o humor e a disposição.

Assim, parece claro que a música é capaz de criar estados psíquicos e físicos diferentes no ser humano. A música tamanho seu poder também pode ser utilizada como tratamento complementar ao Alzheimer, estabelecendo uma comunicação não-verbal (sonoro musical) com o paciente e assim melhorar e fortalecer sua saúde. Talvez seja verdade que as musas realmente existem como acreditavam os gregos e Euterpe seja capaz de influenciar nossas vidas através da música.

Música utilizada em crianças

Estudos também comprovam que a música, quando utilizada durante o aprendizado das crianças faz com que elas se desenvolvam mais rapidamente e de formas mais consistentes. Recomenda-se que as crianças escutem música desde bem novinhas, ainda bebês, curso cavaquinho em casa. E você, coloca músicas para seu filho ouvir? Já notou como ele se movimenta durante uma música ou uma melodia?